Blog

Coronavírus: 10 fatos positivos em meio à pandemia

Levantamento mostra fatos que passam despercebidos, mas que podem contribuir para o combate a doença.

A doença não causa sintomas ou é leve em 81% dos casos.
A doença não causa sintomas ou é leve em 81% dos casos. | Foto: Reprodução Internet

 

O avanço do Covid-19 mostra que estamos cada vez mais próximos de uma pandemia e não tem como minimizar os impactos pela doença. Apesar disso, o novo coronavírus também nos mostra que, sim, é possível encarar e vencer a doença.

Estamos todos vivenciando aquilo que é nominado como pandemia de medo já que, pela primeira vez na história, estamos enfrentando uma epidemia em tempo real: toda a mídia, várias vezes ao dia, todos os dias, em todo o planeta, fala sobre este vírus.

No entanto, como tudo na vida têm os seus prós e seus contras, a rede britânica BBC fez um levantamento com dez notícias positivas que não podem deixar de ser noticiadas.

Eis a lista:

1 – Agora, todos nós temos acesso às informações sobre o que realmente se trata e sabemos quase que instantaneamente. Para se ter uma ideia, os primeiros casos do novo coronavírus foram registrados na China no dia 31 de dezembro de 2019 e, no dia 07 de janeiro de 2020, o vírus já havia sido identificado. O genoma estava disponível três dias depois. Ali, já começamos a descobrir que o Covid-19 pertencia um grupo 2B, da mesma família que a SARS, razão pela qual o chamamos de SARSCoV2.

Se compararmos com os primeiros casos de AIDS, em junho de 1981, o mundo precisou esperar dois anos para uma simples identificação do vírus causador da doença. Isso mostra que, cada vez mais, estamos encurtando o tempo para identificar a doença e iniciar o tratamento para exterminar estes casos.

2 – Já no dia 13 de janeiro, o mundo todo já tinha à sua disposição um teste com o nome RT-PCR para detectar o vírus. Nos últimos meses, esses tipos de testes foram aperfeiçoados e tiveram sua sensibilidade e especificidade avaliada.

3 – Como já foi relatado aqui, o caso teve o seu embrião na China, certo? Então, as fortes medidas de controle e isolamento impostas pelo país estão gerando resultado. Nas últimas semanas, o número de casos diagnosticados diminui a cada dia. Em outros países, é possível notar um acompanhamento epidemiológico muito detalhado. Os focos são muito concretos, o que permite que eles sejam controlados mais facilmente, como aconteceu na Coreia do Sul e em Cingapura.

4 – A doença não causa sintomas ou é leve em 81% dos casos; 14% pode causar pneumonia grave e em 5% pode se tornar crítica ou letal.

5 – Mesmo com a divulgação do aumento dos casos, é possível notar que existe a maioria dos casos que são curados. Há 13 vezes mais pacientes curados do que mortos, e essa proporção pode aumentar ainda mais.

Veja também: Engenheiro Brasileiro leva 30 mil máscaras para ajudar na proteção de famílias chinesas contra o coronavírus

 

6 – Mesmo com o alarde, apena 3% dos casos ocorrem em menores de 20 anos. Além disso, a mortalidade em menores de 40 anos é de apenas 0,2%, e nas crianças esses sintomas podem passar até despercebidos de tão leves que são.

7 – Este vírus pode ser inativado das superfícies com uma solução de etanol, peróxido de hidrogênio ou hipoclorito de sódio em apenas um minuto. Isso reforça o que os médicos afirmam que a lavagem frequente das mãos com água e sabão é a maneira mais eficaz de evitar o contágio.

8 – Este surto é uma prova concreta que a ciência trabalha forte. Em pouco mais de um mês, 164 artigos já foram elaborados sobre Covid-19, além de muitos outros disponíveis nos bancos de artigos ainda não revisados. Vacinas, tratamentos, epidemiologia, genética e filogenia, diagnósticos e aspectos clínicos… são diversos trabalhos preliminares sobre o assunto. Esses artigos foram preparados por cerca de 700 autores espalhados pelo planeta.

9 – Já existem mais de oito projetos contra o novo coronavírus. Existem grupos que trabalham em projetos de vacinas contra outros vírus semelhantes e agora tentam adaptar as pesquisas. Porém, os testes necessários de toxicidade, efeitos colaterais, segurança, imunogenicidade e eficácia na proteção podem prolongar o desenvolvimento.

10 – Os possíveis tratamentos de pessoas que já estão doentes podem ser considerados os mais importantes. No momento, já é possível contar mais de 80 ensaios clínicos para analisar tratamentos contra coronavírus. São antivirais que foram usados ​​para outras infecções, já aprovados e que sabemos que são seguros.

Diante destes fatos, o que nos resta é seguir todas as recomendações divulgadas pelos médicos mundo afora.

Lave as mãos com água e sabão ou use álcool em gel;

Cubra o nariz e boca ao espirrar ou tossir;

Evite aglomerações se estiver doente;

Mantenha os ambientes bem ventilados;

Não compartilhe objetos pessoais.

Se seguirmos essas recomendações, vamos conseguir virar esse jogo contra o Covid-19.

 

Redação por Adriano Dias

14/03/2020 – 09h50

> Voltar

© Copyright 2018 - Rádio Rio de Janeiro

Tsuru Agência Digital
Desenvolvido pela