Blog

ONG de Londrina ajuda famílias carentes oferecendo cestas básicas e qualificação profissional

O projeto existe há 15 anos e já ajudou centenas de famílias necessitadas
O projeto existe há 15 anos e já ajudou centenas de famílias necessitadas.
(Foto meramente ilustrativa)

 

Qualificação profissional e resgate social. Essas são as palavras que mais descrevem o trabalho realizado pela ONG Casa Acolhedora Mãe Rainha/ Projeto Sabão, que existe há 15 anos em Londrina, no Paraná. O projeto atende famílias em situação de vulnerabilidade, oferecendo cestas básicas e qualificando os moradores por meio dos cursos. As pessoas conseguem ter aulas de informática, de pintura em tecido, de reforço escolar e, em breve, de costura e de cabeleireiro.

A costureira Francisca Amaro, de 53 anos, mora no bairro Portal do Sol , está desempregada e procurou a ONG para aprender informática.

“Não sei usar a internet e, se eu tiver que mandar um currículo, não sei como fazer. Hoje tudo depende da informática”, observa.  “Por isso vim aqui, para me matricular no curso de informática e poder fazer tudo isso sozinha. Se surgir uma oportunidade de emprego eu quero estar pronta”, declara.

A diarista Sílvia Aparecida Silva de Moura, moradora do conjunto Parigot de Souza 3, afirma que as aulas de pintura têm sido muito boas.

“Você ganha uma renda extra, já vendi os primeiros panos de prato que pintei. A minha prima já conhecia aqui e passei a acompanhá-la. Há um ano e meio tenho frequentado e me inscrevi para as aulas de pintura. Eu ainda vou fazer as aulas de costura e de cabeleireira, que devem abrir vagas em breve. É uma maneira de aprender uma profissão. Vou fazer esses cursos para poder me desenvolver ainda mais”, destaca.

Além dos cursos, a ONG oferece palestras ministradas por uma psicóloga em parceria com a Delegacia da Mulher, realizadas em alguns dos dias de retirada das cestas básicas. Neste ano foram realizadas duas, uma em março e outra em maio. A próxima será realizada no dia 25 de julho, às 14h.

O começo da ONG

O Projeto Sabão nasceu em fevereiro de 2004, quando Iraci Andrade dos Santos, de 74 anos, que morava em Atibaia, São Paulo, decidiu retornar a Londrina, onde foi criada. Depois que se aposentou, ela queria fazer mais pela comunidade pobre de Londrina.

Percebeu que algumas famílias de assentamentos tinham dificuldades para adquirir produtos de limpeza para casa e até mesmo para fazer a própria higiene e decidiu fazer barras de sabão utilizando óleo de cozinha usado.

“Eu via os meninos com os pés todos sujos de terra. Aquilo me cortava o coração”, lembra.

No início o projeto funcionava em um terreno sem cobertura, com o piso de terra batida, mas desde 2014 funciona em um amplo barracão na Avenida Alexandre Santoro, na Zona Norte.

A ONG passou a distribuir cestas básicas para as famílias carentes e também a recolher cadeiras de rodas, muletas, tipoias e bengalas para emprestar a quem precisa.

“Eu peço para que, depois que não precisarem mais, me devolverem para que eu possa emprestar a quem precisa”, observa Iraci.

Todos os recursos que ela obtém para conduzir a ONG são obtidos mediante a venda das roupas usadas que são doadas.

“Eu não recebo dinheiro algum aqui. Só doações de roupas, material escolar usado. Com a venda que realizo consigo comprar os produtos para a distribuição da cesta básica. Atualmente não temos parceiros para custear a aquisição de cestas básicas, por exemplo”, destaca.

O marido Francisco foi contra a ideia no início, já que Iraci entrava em assentamentos e favelas. Ele, que é baiano e viveu no Rio de Janeiro e em São Paulo, achava arriscado a mulher ir nas comunidades pobres.

“Hoje vejo que o trabalho é muito bonito. Sofremos no começo, mas hoje vejo que vale a pena”, destaca.

Redação por Fernando Pereira.

05/07/2019 – 17h52

 

> Voltar

© Copyright 2018 - Rádio Rio de Janeiro

Tsuru Agência Digital
Desenvolvido pela