Blog

Projeto leva internet para dois milhões de pessoas nas comunidades brasileiras

Por: Adriano Dias
03/10/2020 – 15h35
Iniciativa da Central Única das Favelas vai instalar pontos de conexão Wi-Fi livre e distribuirá chips de celular com conexão gratuita para moradores em favelas por todo país. (Foto reprodução Internet)

 

A internet virou uma peça fundamental para a nossa rotina. A pandemia da Covid-19 intensificou ainda mais essa conexão. Através dela, podemos trabalhar, estudar e compartilhar amor, mesmo que a distância. Infelizmente – como tudo no Brasil – uma parcela da população não consegue aproveitar esse privilégio, seja por questões financeiras ou pela qualidade do sinal. Essa realidade é explícita nas comunidades.

Diante deste cenário desfavorável, um projeto pode auxiliar para encurtar essa disparidade. Através do projeto “Mães da Favela On”, as pessoas que moram nestes locais vão ter acesso à internet. A iniciativa da Central Única das Favelas trabalha com a intenção de beneficiar dois milhões de pessoas até julho do ano que vem.

Segundo a CUFA, a ação vai disponibilizar conexão aberta à internet em diversos pontos de 150 complexos de favelas nos 26 estados do país mais o Distrito Federal, além da distribuição de 500 mil chips para mães cadastradas nas bases da entidade em quase 5 mil favelas.

 

Implementação dividida em três partes

A Central Única das Favelas trabalha em três frentes para atingir o objetivo do projeto. Na primeira etapa, os pontos de Wi-Fi estão sendo instalados simultaneamente nas favelas da Rocinha (RJ), Heliópolis e Brasilândia (SP). Desde o dia 24, estão sendo distribuídos 20 pontos de internet livre em 150 grandes favelas e chips da empresa Alô Social para as 500 mil mães previamente cadastradas.

Em seguida, a dinâmica da democratização do acesso se dá em duas frentes: a primeira, com a instalação, nos próximos seis meses, de pontos de Wi-Fi gratuitos em 150 grandes complexos de favelas no Brasil, atendendo a 1,5 milhão de pessoas com internet livre 24 horas por dia. E a segunda se dará com a disponibilização de chips da empresa Alô Social (em parceria com a TIM) para as 500 mil mães previamente cadastradas de todo Brasil.

Através dos chips entregues às mães e líderes destes lares, as famílias vão ter 24 horas por dia de acesso à internet para conteúdos de educação e empreendedorismo previamente selecionados pelo time da curadoria do projeto, 15h por mês de conteúdos livres, ligações telefônicas e uso de WhatsApp ilimitados por seis meses.

Diferente de outros projetos da CUFA, o “Mãe das Favelas ON” está aceitando apenas doações de empresas. O projeto é uma parceria com a Comunidade Door, empresa do grupo Favela Holding especialista em instalação de peças publicitárias nesses territórios.

Veja também: Projeto cria novos instrumentos pedagógicos para alfabetização da rede de ensino do Rio

> Voltar

© Copyright 2018 - Rádio Rio de Janeiro

Tsuru Agência Digital
Desenvolvido pela