Sobre a Fundação

A PORTA PARA OUTRA DOR (Gerson Monteiro – Jornal O Espírita Fluminense)

Outro dia, conversei com David, desempregado, que sobrevive fazendo “bicos”. Num desses serviços, além do pagamento em dinheiro, ganhou tamanha quantidade de mantimentos do patrão que distribuiu parte deles para outras pessoas, igualmente em dificuldades. Segundo David, se a pessoa se desespera e não faz a parte dela, como Deus pode ajudá-la? E me pediu que enviasse uma mensagem para as pessoas aflitas diante das dificuldades que atravessam.

O que posso dizer àqueles que carregam a cruz pesada da reparação, porque vivem uma difícil convivência no lar, ou porque se encontram desempregadas, é que não se desesperem e nem pensem em “soluções” extremas, como o suicídio. Orem e confiem em Deus, porque são enormes os sofrimentos que experimentam os suicidas na vida espiritual. Não vale a pena morrer, importa, sim, viver, lutar e não se entregar ao desânimo, à desesperança, a exemplo de Jesus, que suportou o madeiro – o qual não merecia – sem revolta e sem nenhuma queixa.

Como sabemos, a maior decepção do suicida é de que ele continua vivo, porque a alma nunca morre, e os sofrimentos não acabam com o extermínio do corpo. Pior, eles são aumentados em virtude da lesão às leis do Criador.

A propósito, o poeta Casimiro Cunha resume tudo isso na seguinte quadra: “Todo suicida presume / Que a morte é o fim do amargor / Sem saber que é o desespero / É a porta para outra dor”. Esta quadra, recebida pelo médium Chico Xavier, nós a inserimos em nosso livro Suicídio e Suas Conseqüências, publicado para encorajar os desanimados e deprimidos diante dos sofrimentos que experimentam.

Podemos afirmar que Deus jamais fechou a janela da esperança ao coração desesperado, quando as portas do mundo se fecharam para ele. Essa janela sempre estará aberta ao aflito que O procura pela prece sincera, externada com humildade e com fé na Sua divina bondade.

Na verdade, Deus nunca está pobre de misericórdia, e o coração sofrido e torturado sempre encontrará, pela oração, as bênçãos da sua infinita solicitude. Ore, trabalhe pelo bem comum e confie, porque a súplica fervorosa e a confiança em Deus são a bendita solução para todos os problemas da vida.

Gerson Simões Monteiro

Vice-Presidente

Fundação Cristã-Espírita Cultural Paulo de Tarso

> Voltar

© Copyright 2015 - Rádio Rio de Janeiro

Tsuru Agência Digital
Desenvolvido pela